Postagens selecionadas do Telegram (agosto de 2023)

Obra "Paper airplane", por Voichenko Serghei

* Acesse apanhados de outros períodos. Links disponíveis no término desta postagem.



Cindindo o animalesco; sintonizando o emotivo


Todos nós conhecemos pais que induzem seus filhos ao que há de mais moderno, pois eles próprios aderem aos modismos em voga — o que não necessária é ruim, mas “apenas” comumente inadequado. Para exemplificar, quem nunca presenciou, na música, pequeninos escutando e até imitando coreografias e vestuários de Anitta, Claudia Leite e Beyoncé?

Será que se os nossos jovens fossem “sintonizados” com obras mais emotivas e menos animalescas haveriam tantas mães solteiras, violências domésticas, abortos e eleitores de ladrões?

Que tal exercemos mudanças sutis? Por exemplo, em festas de aniversários substituirmos as músicas do momento — mesmo que tenhamos a garantia que muitos se divirtam como papagaios adestrados — por algo que exija maior atenção e, exatamente por tal motivo possa ser mais prazeroso e enobrecedor? Não estamos falando necessariamente de músicas eruditas ou óperas, afinal há muitas opções que, além do clássico vão da música popular ao jazz (estilo que atualmente não é nada popular). Permita-nos expormos um exemplo.

O vídeo expõe a performance de Andrea Motis no vocal e no trompete. A jazzista nasceu em Barcelona (Espanha) no ano de 1995 e a gravação é de 2010. Ao ver o desempenho de Andrea aos 15 anos, não é preciso nem mencionar o quanto vale a pena pesquisar por demais vídeos – neste caso inclusive mais recentes!


Joan Chamorro, contrabaixo; Andrea Motis vocal e trompete; Eva Fernandez, saxofone alto;
Iscle Datzira, saxofone tenor; Josep Traver, Guitarra; e, Oliver Rocque, bateria.

Publicado em nosso canal no dia 31 de agosto de 2023.




Filosofia e realidade


Talvez o maior desafio que se possa encontrar, hoje, ao falar sobre filosofia, seja o de fazer compreender que esta não se resume a um mero catálogo especial de ideias, nem a um conjunto de conceitos curiosos sobre este ou aquele tema, mas, antes de mais nada, a uma postura específica adotada conscientemente diante da própria realidade.

A maioria das pessoas, atualmente, está apenas atrás de respostas prontas caídas do céu, frases feitas que resolvam toda a confusão (se real ou aparentemente, tanto faz) e desobriguem do encargo de pensar, do sofrimento de não ter certeza, da angústia de enfrentar a dúvida, o contraditório e as sutis tonalidades que compõem o mundo real. Mas a filosofia tem lugar justamente nesse terreno acidentado e, ademais, não na pura dimensão dos conceitos e palavras, mas ao nível da alma e vida humanas totais: em tudo o que (e como) fazemos e somos, o tempo todo.

Sócrates nunca filosofou tão bem quanto ao beber aquele copo de cicuta — e isso, aos olhos do espírito moderno, é uma aberração absolutamente incompreensível.


Publicado no canal de Daniel Marcondes, em 25 de agosto de 2023.




Trecho da obra Conversa em Sol Menor, de Gustavo Corção


“Antigamente a atitude média dos idiotas era tímida, modesta e respeitosa. E isto que se observa nas ruas, nas aulas particulares, nos salões de xadrez, observava-se também na Igreja. De repente, em certo ângulo da história, mercê de algum gás novo na atmosfera, ou de algum fator ainda não deslindado, os idiotas amanheceram novos e confiantes. Já ouvi e li muitas vezes o termo mutação surrupiado das prateleiras da genética e aplicado à história, à Igreja, ao dogma e aos costumes. Dois ou três bispos franceses não sabem falar dez minutos sem usar o termo “um mundo em mutação”. Se mutação houve, estou inclinado a crer que foi naquele ponto a que atrás aludimos: os idiotas que antigamente se calavam estão hoje com a palavra, possuem hoje todos os meios de comunicação. O mundo é deles.”


Excerto da obra Conversa em Sol Menor, de Gustavo Corção (1896 – 1978)..
Publicado no canal de Autores da Terra de Santa Cruz, em 29 de agosto de 2023.




Excerto da obra A Crise do Mundo Moderno, de René Guénon


“A civilização moderna visa multiplicar as necessidades artificiais e, como vimos anteriormente, ela criará sempre mais necessidades do que aquelas que poderá satisfazer porque, uma vez que se entrou nesse caminho, é muito difícil parar e não existe mesmo qualquer razão para se deter num ponto determinado. Os homens não poderiam sentir qualquer sofrimento por serem privados de coisas que não existissem e nas quais nem sequer nunca tivessem pensado; agora, pelo contrário, sofrem forçosamente se essas coisas lhes faltarem, visto que se habituaram a olhá-las como necessárias e que, de fato, elas se lhes tornaram necessárias. Assim, esforçam-se por todos os meios para adquirir o que lhes pode dar todas as satisfações materiais, as únicas que são capazes de apreciar: trata-se apenas de “ganhar dinheiro” porque é isso que permite obter as coisas e, quanto mais se tem, mais se quer ainda, porque se descobrem sempre novas necessidades, e essa paixão torna-se o único objetivo de toda a vida.”


Excerto da obra A Crise do Mundo Moderno, de René Guénon (1886 – 1951).
Publicados em 25 de julho de agosto, no canal Resistência Cultural.




A cereja do bolo


Atentar apenas ao campo político significa considerar as consequências e desprezar as causas; é olhar de baixo para cima um teto com infiltração d’água e imaginar a solução desconsiderando subir no telhado para trabalhar de cima para baixo.


Geisiane Freitas, durante programação do canal Fio Diário.
Para acessar o primeiro “tuíte” da thread escrita por Olavo de Carvalho e lida por Geisiane, clique aqui.

Publicado em nosso canal no dia 1º de agosto de 2023.




Dois excertos da Revista Catolicismo, edição nro. 872 (agosto de 2023)


1. Redes sociais prejudicam a saúde mental

Apesar de Daniel Howell ter 6,15 milhões de inscritos em seu canal no Youtube, três milhões de seguidores no Instagram e milhões de curtidas no Tik Tok, ele acabou deprimido. Então quis promover a saúde mental dos jovens apontando a causa de sua própria depressão: “Não restam dúvidas de que as redes sociais são péssimas para a saúde mental humana. Não fomos feitos para ler 10 mil pessoas batendo boca umas com as outras no Twitter o dia inteiro, nem para ficar vendo as pessoas mais bonitas do mundo fingindo que têm vidas perfeitas no Instagram. Nada disso é real, normal ou natural”, escreveu em seu livro.

2. China ‘desafia’ Airbus e Boeing com voo comercial

A imprensa voltou a trombetear o primeiro voo comercial do C919, aeronave feita pela chinesa Comac para desafiar a europeia Airbus e a americana Boeing. Após a enorme incerteza que o envolvia, pois a aeronave fora fruto de intensa pirataria industrial e peças estrangeiras, o voo pousou no Aeroporto Internacional de Pequim, causando euforia nos funcionários estatais. Foi um triunfo da propaganda do Partido Comunista, que visa derrubar o domínio das firmas ocidentais no mercado de aeronaves comerciais.


Extraído da Revista Catolicismo, edição 872 de agosto de 2023.
Publicado em nosso canal no dia 22 de agosto de 2023.


Notas da editoria:

Imagem de capa: “Paper airplane”, por Voichenko Serghei.


Postagens similares:



Artigos relacionados

5 2 votos
Classificação
Inscrever-se
Notifique-me sobre
guest
0 Comentários
Comentários
Visualizar todos os comentários
0
Adoraríamos receber sua crítica. Por favor, escreva-a!!x